Endörfina 2017-08-24T11:19:59+00:00

Episódio com Alexandre Ribeiro, parte 1

Como um garoto hiperativo e "rato de praia" se torna hexa-campeão do Ultraman do Havaí? O que levou este corredor precoce a encarar o triathlon mais competitivo e famoso do mundo, com apenas 18 anos de idade? Essas respostas e tantas outras histórias você ouve aqui, no episódio de hoje com o grande Alexandre Ribeiro. Torcedor fanático do Fluminense, a personalidade mais "gente boa" do nosso esporte relembra uma época do Rio de Janeiro que dá saudades. Ele narra o começo da Maratona do Rio, suas aventuras para treinar com pouca informação e muita vontade. Relembra o começo do triathlon no Brasil em 1982 e também do período em que morou com o amigo e parceiro de treinos Dean Harper (vencedor do primeiro Wildflower Triathlon e capa da primeira edição da revista Triathlete em maio de 1983) em Sacramento nos Estados Unidos, treinando sob orientação de Marc Evans. Ele nos conta a respeito da sua estréia no Ironman do Havaí, aos 18 anos, e das várias experiências que teve em Kona, inclusive uma até então inédita 20. colocação em 1996.

Escrito por | 14 dezembro, 2017|0 Comentários

Episódio 14 com Antônio Manssur

Hoje recebo o "Homem Biathlon", meu amigo Antônio Manssur Filho. Dono de uma personalidade irreverente, este pai e juíz de Direito do Estado de SP compete desde 1988. Ele estima que já foram mais de 500 competições em sua carreira esportiva e não dá sinais de que vá parar tão cedo. Aos 15 anos venceu a primeira corrida à pé da qual participou, indicando o que viria a se tornar uma de suas marcas registradas: uma corrida muito forte. Ao assistir uma prova de Triathlon no Guarujá, se interessou pela modalidade. Em nossa conversa ele conta como foi esta descoberta, sua primeira competição no Hotel Fazenda Duas Marias no interior de São Paulo e sobre a maneira inusitada como conheceu o carioca Márcio Carrilho, sua primeira amizade no esporte.

Escrito por | 30 novembro, 2017|0 Comentários

Episódio 13 com Reinaldo Tubarão Bassit

Professor de Educação Física, nutricionista e Doutor em Ciências pela USP, Reinaldo Tubarão foi um boxeador amador campeão e há quase 30 anos se dedica ao triathlon, mountain bike, maratonas e ultra-maratonas, sem deixar o surfe! Conhecido por participar de diversas provas longas, muitas vezes quase na sequência umas das outras, participou do Mountain Bike 12h solo em 1999, correu mais de 30 maratonas, participou 9 vezes da ultra-maratona BR135 (217km) e 15 vezes de provas de Ironman, além de 4 vezes do Ultraman UB515. Em nossa conversa ele conta sobre suas aventuras e como encarou o triathlon quando teve contato com a modalidade ainda em 1988. Conversamos sobre treinamento, sofrimento, motivação e o estilo de vida saudável que ele leva com sua família.

Escrito por | 16 novembro, 2017|0 Comentários

Episódio 12 com a família Werneck

Neste episódio histórico do Endörfina conversei com os pais do triathlon brasileiro. Conheça aqui o casal que foi responsável por descobrir o então novíssimo esporte do triathlon (3 anos de existência) em uma conversa durante uma viagem que o casal fez a Honolulu em 1981, para cobrir a Maratona daquela cidade. Felizmente o espírito empreendedor do jornalista carioca José Inácio Werneck e sua esposa, a inglesa Dawn Webb, o fez ter a idéia de trazer o novo esporte para o Rio de Janeiro. Nascia então o triathlon brasileiro! A primeira edição, chamada informalmente de Corrida Alegre, aconteceu em fevereiro de 1982. Por exigência da Escola de Educação Física do Exército, porém, o ciclismo seria a última modalidade desta primeira prova. Dos quase mil inscritos, cerca de 320 pessoas optaram por participar das três modalidades do evento que começou com 500 metros de natação as 6h45 na Urca. Depois os participantes correram 8km pela praia de Botafogo e pedalaram do Urca até o centro da cidade passando pelo aterro, chegando no Museu de Arte Moderna. O primeiro a sair da água foi o falecido nadador olímpico (posteriormente foi cantor e ator Global) Rômulo Arantes (patrocinado para este evento pela Caloi!), seguido de perto por Carlos Roberto Dolabella e Marco Ripper (ambos da equipe HASPA). O caráter da prova foi recreativo (daí o nome) e houve mais de uma largada para quem não queria nadar. Uma matéria no jornal do Brasil, escrita por José Inácio um dia após o evento, relata a participação de uma jovem de 10 anos (Alexandra Viana) e a presença da nadadora, também olímpica, Maria Lenk como espectadora. O "pódio" masculino: Dolabella, Ripper e Rômulo.

Escrito por | 01 novembro, 2017|0 Comentários

Episódio 11 com Alexandre Manzan

Neste episódio do Endörfina conversei com outro campeão mundial, o brasiliense Alexandre Manzan. Em 1994, então com 18 anos ele sagrou-se Campeão Mundial Júnior de Duathlon na longínqua ilha da Tasmânia. Um ano antes, já havia vencido o Pan-Americano Júnior de Triathlon, feito que repetiu também em 1994. Vice-campeão do Circuito Mundial de Triathlon em 1996 e campeão de 3 etapas do Circuito Mundial no Japão (1996/98) e em Ilhéus, Bahia (1996).

Escrito por | 19 outubro, 2017|0 Comentários

Episódio 10 com Fernando Nabuco

No décimo episódio do Endörfina conversei com Fernando Nabuco de Abreu. Meu amigo desde o começo dos anos 1990, possui uma história muito legal. Filho de um remador Olímpico, começou a nadar aos sete de idade. Aos 17 participou revezamento 4x100m dos jogos Olímpicos de Roma, em 1960. Voltou de lá com um "manual australiano" de treinamento de alto rendimento, que se mostrou revolucionário para os padrões nacionais da época. Foi quanto os estudos e o trabalho falaram mais alto, fazendo com que passasse a dividir seu tempo com os esportes. Passou pelo polo aquático, vela, tênis e até motonáutica. Já um empresário de sucesso, foi lendo o Jornal do Brasil em um voo da ponte aérea que soube da 1. Maratona do Rio de Janeiro, em 1980. Mesmo sem qualquer experiência na corrida, resolveu participar da prova. Três anos mais tarde participou do triathlon Café do Brasil e organizou o primeiro triathlon de São Paulo. Esteve em Kona nos anos de 1984, 87 e 89.

Escrito por | 05 outubro, 2017|0 Comentários

Episódio 09 com Roger de Moraes

Neste episódio especial do Endörfina, recebi Roger de Moraes, um dos primeiros triatletas brasileiros. Em 1983 foi o vencedor do triathlon Café do Brasil, primeira prova organizada no Brasil, realizada na sequência tradicional das modalidades (1k-43k-11k). Filho de militares, nadador, judoca e corredor dos 3000 metros com obstáculos, leu uma matéria a respeito do Ironman do Havaí em 1982 e resolveu então participar desse desafio, na modalidade recém descoberta. Procurou o então técnico de natação do flamengo, Alberto Klar, que o orientou para a sua primeira vitória em 1983 e para o Ironman do Havaí do mesmo ano, onde foi o melhor colocado com menos de 20 anos de idade.

Escrito por | 21 setembro, 2017|0 Comentários

Episódio 08 com Liane Beretta

Hoje recebi minha grande amiga, Liane Beretta de Azevedo. Bicampeã Brasileira em 90 e 92 e Campeã Sul-Americana em 1991, Liane foi integrante da Equipe OP e competiu profissionalmente entre 1987 e 1996. Essa bióloga foi uma das primeiras triatletas profissionais de São Paulo.

Escrito por | 06 setembro, 2017|0 Comentários

Episódio 07 com Marcello Butenas

Meu convidado de hoje é o professor Marcello de Carvalho Butenas. Boleiro na infância e surfista na horas vagas até hoje, teve seu primeiro contato com o triathlon em 1987, quando cursava a faculdade de Educação Física na USP. Disciplinado e talentoso, começou [...]

Escrito por | 24 agosto, 2017|0 Comentários

Episódio 06 com Marcos Paulo Reis

Minha conversa hoje é com o famoso professor Marcos Paulo Reis. Este Niteroiense apaixonado por futebol fez carreira, fama e fortuna na maior cidade da América do Sul, como professor de corrida e triathlon dos ricos e famosos. Segundo ele mesmo, foi ao lado de Wanderlei de Oliveira, o criador do formato de negócio que conhecemos hoje como Assessoria Esportiva e que vive na última década, seu auge no Brasil.

Escrito por | 10 agosto, 2017|0 Comentários

Episódio 05 com Adriana Piacsek

Adriana foi apresentada ao triathlon enquanto cursava a faculdade de Educação Física na USP, pela saudosa Cristina de Carvalho, de quem se tornaria uma grande amiga e parceira de treinos. Logo se encantou pela recém descoberta modalidade. Então, durante uma década inteira se dedicou profissionalmente ao esporte, tendo conquistado o título de campeã Panamericana em 1995 (em Santos) e depois em [...]

Escrito por | 09 agosto, 2017|0 Comentários

Episódio 04 com Oscar Galindez

O argentino Oscar Saul "El Negro" Galindez (numeral 2), então com 18 anos, acabara de passar da categoria júnior para "mayores". Naquele ano (1989) ganhou seu 1° Campeonato Argentino, deixando para trás atletas atletas mais velhos e experientes. E essa foto foi tirada no final do campeonato em San Juan, disputando a vitória com Fernando Giacaglia de Mar del Plata.

Esse simpático argentino da província de Córdoba fez história no [...]

Escrito por | 13 julho, 2017|0 Comentários

Episódio 03 com Núbio de Almeida

Núbio de Almeida Lima, sociólogo de 59 anos, conheceu o triathlon por acaso em 1985 durante uma viagem à Nice, na França, quando presenciou a então famosa prova chamada Ironman de Nice, palco de nada mais nada menos de 10 vitórias consecutivas de Mark Allen.

Da infância como corredor de velocidade ao triathlon, chegou a participar de oito provas de Ironman e diversos triathlons curtos.

Escrito por | 29 junho, 2017|0 Comentários

Episódio 02 com Armando Barcellos

A crise citada por Armando, que freiou o ritmo do triathlon nacional, ocorreu a partir de 15 de março de 1990 quando o então presidente eleito Fernando Collor anunciou seu pacote de modernização administrativa e vitalização da economia, através do plano Collor I, que previa, entre outras coisas: a volta do Cruzeiro como moeda, o coongelamento de preços [...]

Escrito por | 14 junho, 2017|0 Comentários

O Endörfina está no ar!

Carnavalesca de coração, chegou ao pódio do Ironman do Havaí com o terceiro lugar nada menos do que seis vezes! Ao todo foi quatorze vezes top 10. Seu melhor tempo: 9h24’30” (3h09’30” na maratona!) em 1999. Por aqui, entre 1991 e 1996, não tinha para ninguém no mais importante campeonato nacional, o Troféu Brasil.  Aos 44 anos, venceu [...]

Escrito por | 01 junho, 2017|1 Comentário