Ela descobriu os esportes de endurance há uma década. Até então, havia praticado ginástica artística e natação, primeiro em Belo Horizonte e a partir dos 15 anos de idade na aprazível Araxá. Os anos se passaram e ela largou a natação, formou-se, casou e teve três filhos. Sempre muito ativa, continuou praticando esportes como o tênis, a corrida e até o esqui aquático.

Aos 37 anos decidiu participar de um triathlon e propõe a uns amigos fazer um revezamento. A experiência foi interessante, mas ela foi avisada que para ser uma triatleta, ela teria que também pedalar e correr. Foi o que ela fez durante quatro anos. Determinada a aprender e evoluir, se dedicou às três disciplinas até participar de 8 provas de Ironman 70.3 e dois Ironman Brasil.

Participando de algumas provas de águas abertas numa cidade vizinha, notou que seus resultados eram mais expressivos do que nas provas de triathlon e isso lhe chamou à atenção. Quando ouviu de uma treinadora que o Canal da Mancha poderia se tornar no futuro um desafio a ser tentado, sua cabeça pirou e em tempo recorde ela já estava treinando com o especialista Igor de Souza, em busca de realizar o novo sonho.

Em setembro de 2018 foi para Inglaterra pela primeira vez atravessar o Canal em revezamento, mas não liberaram a largada devido às condições climáticas. Voltou em 2019 para tentar a travessia solo e depois de nadar por 8 horas, já em águas francesas, teve hipotermia saiu do mar.

Voltou um mês depois e novamente não houve oportunidade para tentar por falta de boas condições climáticas. Em sua última tentativa, em 2021, a hipotermia bateu novamente com apenas duas horas dentro d’água.

Ela, que já levou dois bronzes em sua categoria na famosa 14Bis e em 2019 nadou os 36km do Leme ao Pontal, tornando-se a pessoa mais velha a concluir a prova, então com 45 anos e 9 meses, teve que focar em um outro desafio. Decidiu então que queria nadar 50km entre a praia Vermelha e Guaratiba, no Rio de Janeiro, travessia que ela concluiu em janeiro de 2022, em 21h06’40”, a única pessoa até hoje a ter encarado este difícil percurso.Ela acreditou em si mesma e descobriu em suas realizações uma dimensão que nunca imaginou atingir.

Direto de Araxá, essa mineira que é advogada, mãe, tenista, ex-triatleta, nadadora de águas abertas, estudante de psicologia, dançarina, a rainha do Leme ao Pontal e recordista mundial no livro Guinness dos recordes, Catarina Almeida Porfírio. Inspire-se!

SIGA e COMPARTILHE o Endörfina através do seu app preferido de podcasts.

Contribua também com este projeto através do Apoia.se.

Um oferecimento da SIGMA.

A Sigma Sport representa a tecnologia alemã em seu mais alto nível, combinando design inovador com engenharia de precisão. Todos os produtos são testados em laboratórios internos para suportar as condições mais adversas, garantindo um excelente padrão de qualidade em toda a linha de produtos.

A Sigma possui produtos de iluminação, ferramentas de bolso, ciclo computadores com e sem GPS, e também relógios com monitor cardíaco com e sem GPS.

Conheça toda linha de produtos Sigma disponíveis no Brasil no www.ultracicle.com.br.

Siga @ultracicle.

SIGA E CONHEÇA MAIS SOBRE A CATARINA E ALGUNS ASSUNTOS MENCIONADOS NA CONVERSA DE HOJE ATRAVÉS DOS LINKS A SEGUIR:

Instagram

Maratona Aquática

Travessia 14Bis

Leme ao Pontal

Catarina Porfírio escreve seu nome no livro dos recordes

Catarina Porfírio é a sexta mulher a nadar do Leme ao Pontal

Episódio #213 com Igor de Souza

Episódio #117 com Adherbal de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *