Episódio 53 com Miriam Xavier

Miriam Xavier começou a praticar triathlon em 1983. A carioca foi bi campeã brasileira (1989 e 1990) nas duas principais distâncias na época, o short (atual sprint) e o triathlon Olímpico. Numa época considerada por muitos como a época de ouro da modalidade, Miriam integrou a elite ao lado de nomes consagrados como Monika Lucena (episódio #27 ) e a jovem Fermanda Keller (episódios #1 e ESPECIAL de aniversário, lançado em 2 junho 2018)

Episódio 51 com Samir Barel

Meu convidado de hoje começou a nadar ainda criança, incentivado pelo irmão mais velho. Passou toda a infância e adolescência nas piscinas de Campinas, interior de São Paulo batendo recordes nas provas curtas de 50, 100 e 200 metros. Aos 25 anos experimentou a sua primeira maratona aquática, para logo depois sagrar-se tri campeão paulista na categoria. Até que em 2012, resolveu encarar desafios maiores e decidiu que enfrentaria as travessias mais casca grossa do planeta. Acabou se tornando um especialista em nadar longas distâncias.

Episódio 49 com Marcos Paulo Reis e Leandro Macedo

Nesta edição especial do Endörfina, dois amigos e convidados que já passaram por aqui retornam, agora juntos, para conversar e discutir sobre o triathlon e a corrida, sobre a evolução do esporte, sobre treinamento, doping, sobre o triathlon profissional, amador e sobre os mais recentes fatos e resultados das duas modalidades. Uma rara oportunidade de ouvir as opiniões do técnico Marcos Paulo Reis e do ex-campeão mundial de triathlon e agora treinador, Leandro Macedo.

Episódio 42 com Paulo Cezar Rotella (@Correndoporaí)

A primeira corrida da qual participou foi a Maratona Pão de Açúcar de Revezamento de São Paulo, em 1999, quando tinha 17 anos. Porém, a corrida realmente entrou na sua vida após o divórcio, em 2012. Mesma época que resolveu lançar o perfil “Correndo por aí” no Instagram. Um ano depois, participou da sua primeira maratona e então decidiu treinar para um Ironman.

Episódio 41 com Poliana Okimoto

Meses após viver o ponto mais baixo de sua carreira, nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, Poliana superou a depressão resolveu ir atrás do seu sonho. Nadando em águas brasileiras, foi bronze na maratona aquática no Rio 2016. Conheça detalhes da história da primeira nadadora brasileira a ganhar medalhas em mundiais e também em Jogos Olímpicos, a atual recordista brasileira nos 1500 metros em piscina longa e escritora nas horas vagas, a grande Poliana Okimoto Cintra.

Episódio 40 com Alexandre Maximiliano

Carioca de alma e espírito, este oceanógrafo e professor de educação física, apaixonado pelo esporte da redonda desde a infância, correu muito atrás da bola e de pipas numa época em que ainda era seguro uma criança brincar pelas ruas. Um dia sonhou em ser triatleta. Afinal, já praticava natação e chegava primeiro que seus colegas nas pipas que perseguia. Morando na cidade onde surgiu o nosso esporte, foi fácil começar a competir. Estreou em 1987, foi bronze no Ironman do Havaí na categoria até 24 anos (1995), mesmo ano em que foi vice–campeão do Troféu Brasil e bronze também no campeonato sul-americano de 1996. Sagrou-se hexa-campeão carioca de duathlon entre outros títulos!

Episódio 37 – Fernanda Paradizo

Filha de uma pedagoga, passou grande parte da sua infância e adolescência na escola. Além das atividades artísticas, praticou judô, handebol, basquete e vôlei. Antes dos 17 anos já ingressou na faculdade de jornalismo e dois anos depois, na faculdade de letras. Era revisora da revista Boa Forma, quando foi chamada para fazer uma matéria sobre a corrida. Conheçeu então o mestre em corrida, Wanderlei de Oliveira, que seria fator determinante no seu ingresso no mundo das maratonas, como corredora e jornalista.

Episódio 36 – Antônio Chaer

Meu convidado de hoje ingressou no esporte ainda muito jovem. Esse pequeno carioca, então com 14 anos, jogava volei e praticava natação, quando em 1991 experimentou seu primeiro biathlon. O convite partiu de alguns dos seus amigos, Armando Barcellos e Marcus Ornellas! Estreou nas águas geladas de Copacabana.

Episódio 34 – Íris Amoedo

Íris teve contato com diversos esportes desde cedo. Mas foi no tênis que competiu até os 16 anos, chegando a ficar entre as dez melhores brasileiras do juvenil. Se mudou para Santos com a família e começou a correr na praia, quando descobriu que levava jeito para a corrida. Depois de participar de algumas provas de rua, descobriu que haveria um triathlon na cidade. Seria a etapa santista do Troféu C&A, em 1987. No primeiro Troféu Brasil, em 1990, há exatos 29 anos, Íris foi a grande campeã.

Episódio 33 com Rafael Niro

Rafael já participou de corridas de aventura, triathlons e diversas provas de mtb. Trabalhando desde 2013 na TREK Bicycles, tem hoje, como gerente de mkt, a responsabilidade de fortalecer e expandir da presença da marca no Brasil.