Episódio 53 com Miriam Xavier

Miriam Xavier começou a praticar triathlon em 1983. A carioca foi bi campeã brasileira (1989 e 1990) nas duas principais distâncias na época, o short (atual sprint) e o triathlon Olímpico. Numa época considerada por muitos como a época de ouro da modalidade, Miriam integrou a elite ao lado de nomes consagrados como Monika Lucena (episódio #27 ) e a jovem Fermanda Keller (episódios #1 e ESPECIAL de aniversário, lançado em 2 junho 2018)

Episódio 50 com Daniel Aliperti

Graças ao seu espírito empreendedor e à sua coragem, o nicho das bike shops cresceu e prosperou por aqui. Mais de 30 anos depois, ele ainda é referência no assunto. Com vocês o fundador e proprietário da Pedal Power, o talentoso ciclista e competidor nato, meu amigo Daniel de Magalhães Castro Aliperti.

Episódio 49 com Marcos Paulo Reis e Leandro Macedo

Nesta edição especial do Endörfina, dois amigos e convidados que já passaram por aqui retornam, agora juntos, para conversar e discutir sobre o triathlon e a corrida, sobre a evolução do esporte, sobre treinamento, doping, sobre o triathlon profissional, amador e sobre os mais recentes fatos e resultados das duas modalidades. Uma rara oportunidade de ouvir as opiniões do técnico Marcos Paulo Reis e do ex-campeão mundial de triathlon e agora treinador, Leandro Macedo.

Episódio 48 com Lauter Nogueira

Lauter é formado em engenharia e educação física e participou do primeiro triathlon brasileiro, a Corrida Alegre em 1982. Foi técnico de alguns dos primeiros triatletas nacionais, integrou a equipe técnica da delegação de triathlon em Sydney e é comentarista da Rede Globo desde 1995.

Episódio 47 com Tim Don

Em uma entrevista inédita após a classificação para o Ironman de Kona 2018, Tim conta sua trajetória de vida até estabelecer a melhor marca para um Ironman até hoje e a batalha para superar o trauma do acidente que quase acabou com sua carreira.

Episódio 46 com Mário Roma

Seguindo os passos de outro notório português, este gajo de olhos azuis aportou no Brasil, mais específicamente no Rio Grande do Norte há 28 anos. Diferentemente do descobridor europeu do nosso continente, o jovem Mário estava em busca de curtir a vida na famosa praia da Pipa. Velejador profissional por muitos anos, deu a volta ao mundo à bordo de um veleiro e foi recordista da travessia do Atlântico, entre diversos títulos europeus e duas Olimpíadas.

Episódio 45 com Ronaldo da Costa

Ele iniciou na corrida aos 16 anos de idade, atraído pela premiação da prova. A data ele jamais se esqueceu, foi no 30 de maio 1987. O tempo nos 10km foi de 40’20”, o que lhe garantiu um inesperado 2. lugar e quinhentos cruzeiros no bolso. Trabalhando então numa olaria para a prefeitura de Descoberto, Minas Gerais, ele gostou da experiência e resolveu continuar participando das corridas da região. Mudou-se para Juiz de Fora para trabalhar numa fábrica de máquinas de escrever e competia pela equipe da empresa. Descontente com a vida na "cidade grande", aos 19 anos resolveu voltar para sua cidade natal e continuou a correr.

Episódio 43 com Hugo Prado Neto

Curitibano radicado em Belo Horizonte, Hugo é o que se pode chamar de um atleta de alto nível. Não apenas pelos seus resultados, mas também pelo seu nível de conhecimento e expertise técnicas e fisiológicas. Além de ter sido triatleta, ciclista e atualmente um mountain bike profissional, Hugo estudou e se formou em Ciências do Exercício e dos Esportes, com ênfase em fisiologia do exercício pela Universidade da Flórida, graduando-se com muito êxito e tendo recebido diversas premiações acadêm

Episódio 42 com Paulo Cezar Rotella (@Correndoporaí)

A primeira corrida da qual participou foi a Maratona Pão de Açúcar de Revezamento de São Paulo, em 1999, quando tinha 17 anos. Porém, a corrida realmente entrou na sua vida após o divórcio, em 2012. Mesma época que resolveu lançar o perfil “Correndo por aí” no Instagram. Um ano depois, participou da sua primeira maratona e então decidiu treinar para um Ironman.

Episódio 40 com Alexandre Maximiliano

Carioca de alma e espírito, este oceanógrafo e professor de educação física, apaixonado pelo esporte da redonda desde a infância, correu muito atrás da bola e de pipas numa época em que ainda era seguro uma criança brincar pelas ruas. Um dia sonhou em ser triatleta. Afinal, já praticava natação e chegava primeiro que seus colegas nas pipas que perseguia. Morando na cidade onde surgiu o nosso esporte, foi fácil começar a competir. Estreou em 1987, foi bronze no Ironman do Havaí na categoria até 24 anos (1995), mesmo ano em que foi vice–campeão do Troféu Brasil e bronze também no campeonato sul-americano de 1996. Sagrou-se hexa-campeão carioca de duathlon entre outros títulos!