Episódio 126 com Paulo Guerra

Recebo hoje um convidado muito especial. Além de ter sido um dos melhores corredores do mundo no cross country e ter conquistado por 5 vezes o campeonato europeu da modalidade, foi o primeiro corredor branco da história a vencer os africanos. Nos conhecemos no começo dos anos 2000 em Fortaleza, quando veio participar de algumas edições da Maratona Pão de Açúcar de Revezamento a convite do Márcio Milan, outro amigo e na época executivo do grupo. Além do seu desempenho fenomenal, me chamou a atenção a simpatia, humildade e o sorriso sempre estampado em seu rosto.

Episódio 125 com Brett Sutton

Ele é o treinador de triatlo mais bem sucedido de todos os tempos. Ele também é uma pessoa muito direta, com um histórico único e, portanto, uma metodologia de treinamento única e não-ortodoxa. Conversamos sobre seu início, suas experiências de treinamento com galgos e cavalos, sua opinião sobre o MMA, suas crenças e opiniões sobre a cena atual do triatlo e seu futuro.

Episódio 124 com Pippo Garnero

Meu convidado de hoje ingressou no ciclismo competitivo numa idade considerada avançada por muitos. Depois de alguns anos competindo como amador, em 2012 resolveu se profissionalizar. Seu histórico de vida até então o fez pedalar ainda mais forte mais para provar que estava certo de sua escolha. Em 2014 conquistou o título de campeão brasileiro. Ele também participou de dois campeonatos mundiais e de conquistas importantes dentro das equipes que integrou.

Episódio 123 com Luiz Navas Júnior

Ele é um professor de educação física e treinador formado em 2006 pela Faculdade Integrada de Santo André. Após viver uma fase complicada na adolescência, foi encontrando seu caminho através do esporte de endurance. O começo na natação em 1991 numa academia de bairro o levou aos biathlons (como eram chamados os aquathlons na época) e três anos depois estreou no famoso Triathlon Internacional de Santos.

Episódio 122 com Marcella Toldi

Minha convidada de hoje é uma mulher que não para quieta. Apesar de ter passado alguns anos de sua infância na minúscula Itapura, cidade fundada pelo tataravô, ela tem todos os sinais de uma jovem cosmopolita do século 21. Formada em administração, praticou natação, corrida e foi levada pela amiga Cristina de Carvalho a participar de triathlons. Também fez parte da famosa equipe Atenah de corridas de aventura.

Episódio 121 com Roberto Azevedo

Meu convidado de hoje é uma inspiração para todos nós. Numa idade em que muitas pessoas acham que e chegada a hora de se aposentar e diminuir o ritmo, ele está vivendo o auge da sua vida esportiva. Depois de 32 anos do seu primeiro triathlon, este ex-jogador de futebol acaba de conquistar o sonho de 10 entre 10 triatletas: conquistou o título de campeão mundial justamente em Kona, no Havaí.

Episódio 120 com Elisa Lamego

Hoje eu converso com uma pessoa que me surpreendeu assim que a conheci. Desde a maneira eloquente como se expressa, a maneira como encara a corrida e seu desempenho mas principalmente me impressionou o seu estilo de vida. Formada em Relações Internacionais, corredora há pouco menos 4 anos, ela é adepta do crudivorismo.

Episódio 119 com Djan Madruga

Paulista da cidade de Santos, meu convidado participou de 3 Olimpíadas onde foi finalista em 5 provas e conquistou o bronze no revezamento 4x200 livre. Aos 16 anos já era recordista sul-americano dos 200, 400, 800 e 1500 metros livre. Foi o único nadador brasileiro a deter recordes simultâneos em todas as distâncias do nado livre, dos 100 aos 1500 metros. Nas eliminatórias dos 400 metros nos Jogos Olímpicos de Montreal em 1976, foi o primeiro nadador brasileiro a bater um recorde olímpico e o primeiro nadador do mundo a baixar de 4 minutos.

Episódio 118 com Chicão Ferreira

Triatleta que se especializou nas longas distâncias, na adolescência foi apaixonado pelo hipismo quando competiu em provas de enduro equestre. Foi DJ antes de ser apresentado ao triathlon, esporte no qual fez carreira e coleciona diversos títulos. Apesar de muito bem humorado e brincalhão, leva a sério o esporte.

Episódio 117 com Adherbal de Oliveira

Recebo hoje um nadador que desde os 10 anos de idade foi se acostumando com vitórias e quebra de recordes. Uma dura rotina o fez mestre em “contar azulejos” até os 18 anos, quando optou em largar o esporte para se concentrar nos estudos. Mais de duas décadas depois, já pai de quatro meninas, sentiu que era a hora de retornar ao meio aquático. Dessa vez os limites da piscina já não eram mais o suficiente para saciar sua vontade de nadar.