Episódio 158 com Tânia Clair Pickler

Hoje a conversa aqui será mais profunda do que normalmente é e talvez até filosófica. Essa mulher inteligente e tranquila nasceu há 33 anos em Marechal Candido Rondon (SC). Seu contato com o mountain bike começou por acaso por estímulo do então namorado. Seu desempenho logo chamou a atenção dos companheiros de pedal e no ano seguinte, em 2007, foi motivada a participar da sua primeira competição.

Episódio 157 com Betina Lorscheitter

Minha convidada de hoje é uma talentosa e dedicada nadadora. Especializou-se nas maratonas aquáticas, o que lhe trouxe o título de campeã brasileira em 2015, 2018 e 2019. Venceu a famosa travessia do Leme ao Pontal em 2018, estabelecendo de quebra o recorde da prova. Venceu a travessia do Canal de Ilhabela em 2019 e agora, se prepara para conquistar seu sonho de garotinha: nadar nos Jogos Olímpicos.

Episódio 156 com Ricardo Toledo

Meu convidado de hoje foi surfista profissional por mais de 20 anos e chegou a conquistar três títulos brasileiros. Um dos melhores surfistas da sua geração, nasceu, foi criado e criou seus filhos mais velhos em Ubatuba, que segundo ele mesmo é um verdadeiro paraíso. De surfista profissional, passou a administrar a carreira do seu filho e também campeão de surfe, o famoso Filipe Toledo.

Episódio 155 com Mariana Maia

Ela se formou em rádio e televisão, mas é artista plástica por vocação. Depois de praticar diversas modalidades ainda na infância, correu ao lado do pai na época da sua adolescência.  Levou uma vida praticamente sedentária e de baladas durante o período da faculdade e após o nascimento dos filhos Lucas e Carol, decidiu retomar a corrida por uma causa nobre, ajudar o irmão a perder peso.

Episódio 154 com Paulo Kakinoff

Formado em administração de empresas pelo Mackenzie, ele trabalhou na indústria automobilística por 19 anos antes de migrar para o setor aéreo. Um sujeito simples, querido pelo amigos e admirado por colegas que é referência quando o assunto é liderança. Fora do mundo corporativo, das intermináveis reuniões e viagens a trabalho, o esporte ocupa um espaço de destaque em sua vida.

Episódio 153 com Cristián Bustos

O melhor triatleta sul-americano de todos os tempos no campeonato mundial de Ironman teve uma carreira repleta de sucessos e títulos. Um talentoso corredor que se tornou um triatleta da primeira geração da modalidade no Chile e que conquistaria o título no Ironman de Roth em 1993, depois de um ineditíssimo segundo lugar em Kona no ano anterior.

Episódio 152 com Andréia Hessel

Minha convidada de hoje tem uma história de amor ao esporte que é muito bacana. Vinda de uma família humilde, viveu no campo até o 20 anos de idade. A dura rotina no campo não a privou de ter uma boa infância e foi através de um professor que ela já adolescente pegaria gosto pelo futebol e escolheria ser professora de Educação Física. Após completar o segundo grau e trabalhar como cozinheira, empregada doméstica e babá, percebeu que para perseguir o seu sonho teria que se arriscar na cidade grande. Em 2004 mudou-se então para São Paulo e começou a trabalhar na área de limpeza de uma academia de ginástica.

Episódio 151 com Sandro Bernardoni

Hoje eu converso com mais um surfista que acabou se tornando triatleta. Um empresário catarinense que já viveu o suficiente para ter sobrevivido a diversos acidentes de carro, ter sua própria fábrica de pranchas de surfe, uma fábrica de lingeries e uma agência de publicidade. Organizou campeonatos de surfe, provas de aventura e nos últimos 11 anos se dedica a organizar as provas do GP Extreme.

Episódio 150 com Ana Augusta

É com grande prazer que recebo hoje mais uma verdadeira representante do povo nordestino, da sua garra, determinação e alegria de viver. As pancadas que levou da vida desde pequena, ela deu um jeito de superar e foi através do esporte que ela se reergueu de uma depressão. Precisando de ajuda, foi graças ao filho de criação e do Google que ela em 2017 descobriu o triathlon. Três meses depois largava sua primeira competição, o 70.3 de Maceió e em apenas mais três meses, no 70.3 de Fortaleza já conquistaria o lugar mais alto do pódio em sua faixa etária.

Episódio 149 com Bruno Bem Levinho Lopes

Conversaremos hoje aqui sobre o esporte a as oportunidades que ele proporciona. A exemplo de tantos outros, meu convidado quando garotinho jogou futebol nas ruas da periferia onde morava. Aos 14 anos ingressou num projeto social para se ocupar durante as tardes e lá teve contato com o handebol. Num dia chuvoso e sem poder jogar, observou um colega brincando com uma bola de basquete. Aquele foi o momento em que iniciaria sua paixão pela nova modalidade. Chegou a sonhar em ser um grande jogador, porém, a vida lhe puxava de volta para a realidade.
Ir ao Topo