Episódio 134 com Vittória Lopes

Ela faz parte de uma nova geração de triatletas brasileiros. Dona de muito talento, de uma genética no mínimo super favorável mas sobretudo de uma disciplina espartana, ela possui uma conexão direta e íntima com a história do esporte no Brasil. Ela é uma das filhas da famosa triatleta campeã master e ex-nadadora, Hedla Lopes, provando mais uma vez que às vezes, o santo de casa faz milagres!

Episódio 127 com Diogo Ratacheski

Meu convidado de hoje é um curitibano que desde garoto teve uma ligação muito intensa com a natureza. Aos 14 anos foi campeão brasileiro juvenil de escalada. Aos 16 sagrou-se campeão brasileiro profissional, feito que viria a repetir no ano seguinte. A vida seguia às mil maravilhas para este jovem campeão e com 20 anos veio mais um título, o de campeão sulamericano. Jovem, boa pinta, forte e vencedor, ele escolheu o curso de geologia, afinal, sua rotina estava intimamente ligada às paredes de pedra e à natureza. Vivendo aquela fase onde nos sentimos prontos para decolar para a vida, com energia e sonhos capazes de transformar o mundo, veio a reviravolta.

Episódio 123 com Luiz Navas Júnior

Ele é um professor de educação física e treinador formado em 2006 pela Faculdade Integrada de Santo André. Após viver uma fase complicada na adolescência, foi encontrando seu caminho através do esporte de endurance. O começo na natação em 1991 numa academia de bairro o levou aos biathlons (como eram chamados os aquathlons na época) e três anos depois estreou no famoso Triathlon Internacional de Santos.

Episódio 119 com Djan Madruga

Paulista da cidade de Santos, meu convidado participou de 3 Olimpíadas onde foi finalista em 5 provas e conquistou o bronze no revezamento 4x200 livre. Aos 16 anos já era recordista sul-americano dos 200, 400, 800 e 1500 metros livre. Foi o único nadador brasileiro a deter recordes simultâneos em todas as distâncias do nado livre, dos 100 aos 1500 metros. Nas eliminatórias dos 400 metros nos Jogos Olímpicos de Montreal em 1976, foi o primeiro nadador brasileiro a bater um recorde olímpico e o primeiro nadador do mundo a baixar de 4 minutos.

Episódio 104 com Beatriz Pinna

Recebo hoje uma triatleta amadora que veio do tênis. Foi através do incentivo do irmão mais velho que ela resolveu deixar a monotonia da corrida para experimentar o triathlon. Logo ela se viu fazendo treinos que jamais poderia imaginar e pegou gosto pela nova modalidade. Com o passar do tempo, já completamente tomada pelo estilo de vida do triathlon, essa mulher formada em administração de empresas com MBA em finanças começou a querer analisar o desempenho de suas concorrentes e descobriu que não se tratava de uma tarefa simples mesmo para quem domina o excel.

Episódio 101 com Amilcar Altemani

A história de vida do meu convidado de hoje é parecida com aquelas que tantas e tantas vezes assistimos nos vídeos oficiais das provas do Ironman do Havaí, quando a organização escolhe a dedo um ou dois amadores que muito distante dos profissionais, não esperam se consagrar no campeonato mundial da distância. São pessoas comuns que transformaram suas vidas numa jornada de superação e enfrentamento de dificuldades com o auxílio do triathlon mais famoso do mundo.

Episódio 91 com Marcelo Braga

Meu convidado de hoje ostenta em seu currículo nada mais, nada menos, que perto de 30 provas de Ironman, 150 etapas do Troféu Brasil de Triathlon, mais de 20 São Silvestres, algumas dezenas de Maratonas e até um Race Across America. São mais de três décadas de uma carreira dedicada aos esportes. Mesmo sem nunca ter praticado a corrida e ter experimentado a natação e a bicicleta apenas por lazer, seus resultados foram e continuam sendo muito expressivos.

Episódio 88 com Evandro Portela

Recebo hoje para um bate papo muito franco e direto, um ciclista que reflete a dura realidade da modalidade por aqui. Filho de um corredor e ciclista amador, começou no esporte através da corrida até que a chegada de uma nova loja de bicicletas na cidade o levou a se interessar pelas duas rodas. Com uma bicicleta de bmx adaptada chegou a vencer uma competição de ciclismo. O talento foi se revelando aos poucos e o incentivo fundamental de outro ciclista que já passou por aqui, Cássio de Paiva, o fez tentar a sorte na Europa ainda como amador.

Episódio 85 com Carlos Roberto Dolabella

Conheceremos hoje a trajetória de um surfista carioca e rato de praia que por uma intervenção divina recebeu um “chamado” para participar do Ironman do Havaí. Com o apoio da mãe , que temia pelo futuro incerto do filho, resolveu partir em busca de uma profissão. Com as ferramentas disponíveis na época começou a treinar até que veio a novidade: aconteceria no Rio o primeiro triathlon em solo brasileiro, chamado de Corrida Alegre.

Episódio 77 com Bruna Mahn

Minha convidada de hoje nasceu e cresceu na aprazível cidade de Piracicaba há 32 anos e nunca imaginou que se tornaria atleta. A natação chegou tarde e a bicicleta era usada apenas para ir à casa das amigas. O primeiro contato com o triathlon, em 2004, foi breve e veio logo antes de participar de um intercâmbio na Europa.