Episódio 124 com Pippo Garnero

Meu convidado de hoje ingressou no ciclismo competitivo numa idade considerada avançada por muitos. Depois de alguns anos competindo como amador, em 2012 resolveu se profissionalizar. Seu histórico de vida até então o fez pedalar ainda mais forte mais para provar que estava certo de sua escolha. Em 2014 conquistou o título de campeão brasileiro. Ele também participou de dois campeonatos mundiais e de conquistas importantes dentro das equipes que integrou.

Episódio 119 com Djan Madruga

Paulista da cidade de Santos, meu convidado participou de 3 Olimpíadas onde foi finalista em 5 provas e conquistou o bronze no revezamento 4x200 livre. Aos 16 anos já era recordista sul-americano dos 200, 400, 800 e 1500 metros livre. Foi o único nadador brasileiro a deter recordes simultâneos em todas as distâncias do nado livre, dos 100 aos 1500 metros. Nas eliminatórias dos 400 metros nos Jogos Olímpicos de Montreal em 1976, foi o primeiro nadador brasileiro a bater um recorde olímpico e o primeiro nadador do mundo a baixar de 4 minutos.

Episódio 117 com Adherbal de Oliveira

Recebo hoje um nadador que desde os 10 anos de idade foi se acostumando com vitórias e quebra de recordes. Uma dura rotina o fez mestre em “contar azulejos” até os 18 anos, quando optou em largar o esporte para se concentrar nos estudos. Mais de duas décadas depois, já pai de quatro meninas, sentiu que era a hora de retornar ao meio aquático. Dessa vez os limites da piscina já não eram mais o suficiente para saciar sua vontade de nadar.

Episódio 116 com Nicolas Sessler

Recebo hoje um jovem e talentoso ciclista que foi bi campeão brasileiro de mountain bike até completar 18 anos e em 2012 ficou com o 7. lugar ranking mundial júnior da UCI. Integrou a equipe Scott e Caloi, onde correu ao lado de outras feras como Henrique Avancini e Sherman Trezza. Em 2014 recebeu um convite para correr na Bélgica e lá ficou por três temporadas até ser aconselhado pelo seu treinador a tentar a sorte no ciclismo de estrada, pois lhe faltava a explosão necessária para competir no alto nível do mountain bike.

Episódio 67 com Cássio de Paiva

O jovem Cássio iniciou sua carreira como ciclista em 1982, ainda em sua cidade natal, Belo Horizonte. Os bons resultados o levaram a se mudar para São Paulo para representar a famosa equipe Pirelli, que por sua vez, serviu como uma espécie de trampolim para que ele recebesse um convite para correr por uma equipe portuguesa.

Episódio 54 com Fernando Louro

Fernando Louro (56), é um paulistano que ingressou no ciclismo aos 14 anos e logo obteve resultados de destaque. Foi convidado então para fazer parte da equipe Caloi, o que ajudou sua carreira a decolar. Seja na pista ou estrada, em provas contra o relógio ou em etapas, Louro, como é conhecido, foi um dos melhores ciclistas brasileiros da sua época.

Episódio 44 com Márcio May

Mais um ciclista talentoso que veio do sul do país e que durante 18 anos representou a seleção brasileira em diversas provas do esporte, da pista à estrada. Iniciou no esporte em 1986 e por pouco mais de duas décadas calcula ter pedalado algo próximo a 600 mil km! Neste período venceu inúmeras provas, participou de 3 olimpíadas e foi tetra-campeão da Volta de Santa Catarina.

ESPECIAL brasileiros no Tour de France com Murilo Fischer

O mais recente brasileiro a participar do Tour de France, Murilo fez carreira na Europa por 13 anos, sendo o recordista brasileiro de participações e finalizações das "grandes voltas" (3 x Tour, 5 x Giro, 1 x Vuelta), além de 5 participações em Olimpíadas.

ESPECIAL brasileiros no Tour de France com Luciano Pagliarini

Um craque da bicicleta desde garotinho, Luciano iniciou nas competições através do mountain bike. Após sagrar-se campeão paranaense, foi convidado para integrar a seleção brasileira júnior de ciclismo de estrada. Entre 1994 e 1996, seus resultados impressionam e no campeonato brasileiro deste último ano na categoria júnior, ganha seis medalhas de ouro e uma de prata. om Luciano participa do pan-americano do Uruguai, onde conquistou duas medalhas de prata e duas de bronze. Veio então o convite para integrar a Caloi, que representou por três anos, vencendo mais de 60 provas.

ESPECIAL brasileiros no Tour de France com Mauro Ribeiro

Com apenas 18 anos foi campeão mundial na pista, o que motivou seu pai a criar a equipe de ciclismo Cascatinha. Alguns anos depois, os resultados expressivos o levaram a conquistar uma vaga na equipe Caloi e após um ano, passou uma temporada no principal centro de formação de ciclistas da França. De lá saiu com um contrato com a francesa RMO, uma das maiores da época. Durante os seis anos que representou as cores da RMO, conquistou seus principais resultados, inclusive a gloriosa vitória nos 161km da 9a. etapa da Volta da França, justamente no dia 14 de julho de 1991, entre Alençon e Rennes.