Episódio 11 com Alexandre Manzan

Neste episódio do Endörfina conversei com outro campeão mundial, o brasiliense Alexandre Manzan. Em 1994, então com 18 anos ele sagrou-se Campeão Mundial Júnior de Duathlon na longínqua ilha da Tasmânia. Um ano antes, já havia vencido o Pan-Americano Júnior de Triathlon, feito que repetiu também em 1994. Vice-campeão do Circuito Mundial de Triathlon em 1996 e campeão de 3 etapas do Circuito Mundial no Japão (1996/98) e em Ilhéus, Bahia (1996).

Episódio 09 com Roger de Moraes

Neste episódio especial do Endörfina, recebi Roger de Moraes, um dos primeiros triatletas brasileiros. Em 1983 foi o vencedor do triathlon Café do Brasil, primeira prova organizada no Brasil, realizada na sequência tradicional das modalidades (1k-43k-11k). Filho de militares, nadador, judoca e corredor dos 3000 metros com obstáculos, leu uma matéria a respeito do Ironman do Havaí em 1982 e resolveu então participar desse desafio, na modalidade recém descoberta. Procurou o então técnico de natação do flamengo, Alberto Klar, que o orientou para a sua primeira vitória em 1983 e para o Ironman do Havaí do mesmo ano, onde foi o melhor colocado com menos de 20 anos de idade.

Episódio 03 com Núbio de Almeida

Núbio de Almeida Lima, sociólogo de 59 anos, conheceu o triathlon por acaso em 1985 durante uma viagem à Nice, na França, quando presenciou a então famosa prova chamada Ironman de Nice, palco de nada mais nada menos de 10 vitórias consecutivas de Mark Allen.

Da infância como corredor de velocidade ao triathlon, chegou a participar de oito provas de Ironman e diversos triathlons curtos.

Episódio 02 com Armando Barcellos

A crise citada por Armando, que freiou o ritmo do triathlon nacional, ocorreu a partir de 15 de março de 1990 quando o então presidente eleito Fernando Collor anunciou seu pacote de modernização administrativa e vitalização da economia, através do plano Collor I, que previa, entre outras coisas: a volta do Cruzeiro como moeda, o coongelamento de preços [...]

O Endörfina está no ar!

Carnavalesca de coração, chegou ao pódio do Ironman do Havaí com o terceiro lugar nada menos do que seis vezes! Ao todo foi quatorze vezes top 10. Seu melhor tempo: 9h24’30” (3h09’30” na maratona!) em 1999. Por aqui, entre 1991 e 1996, não tinha para ninguém no mais importante campeonato nacional, o Troféu Brasil.  Aos 44 anos, venceu [...]